II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam

II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam recebe deputado autor de projeto que dá desconto telefônico para pessoas que gaguejam

A convite da Associação Brasileira de Gagueira (ABRA GAGUEIRA), o deputado estadual do Mato Grosso do Sul, Diogo Tita será um dos palestrantes do II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam, que será realizado no próximo dia 5 de agosto,das 8h às 16h, na Universidade Veiga de Almeida (UVA), Campus Tijuca, no Rio de Janeiro. O parlamentar irá abordar no evento o projeto de lei de sua autoria que concede 50% de desconto na tarifa telefônica para pessoas que gaguejam.

O projeto já tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e dá o direito ao benefício àqueles que comprovarem o problema na fala através de uma avaliação com fonoaudiólogos especializados no assunto. A proposta cria ainda um dispositivo de controle para concessão do desconto, através da instalação de aparelhos bloqueadores, pelas empresas, visando a não utilização indevida do benefício. A expectativa do parlamentar é que o projeto seja votado na Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul no segundo semestre de 2009.

A presidente da ABRA GAGUEIRA, a fonoaudióloga Daniela Verônica Zackiewicz elogiou o projeto e parabenizou o deputado pela iniciativa. "Esperamos que juntos possamos conquistar este direito tão importante", comenta. Para abrir o debate sobre o projeto, a presidente disponibilizou no site da Associação
http://www.abragagueira.org.br - www.abragagueira.org.br - um fórum de discussão. No local, as pessoas poderão opinar e enviar sugestões para o projeto de lei.

No Encontro, o deputado estadual vai discutir com os presentes como surgiu a idéia de criar um projeto de lei voltado para pessoas que gaguejam e as chances do mesmo ser aprovado e, consequentemente, virar Lei.

Para Diogo Tita, essa será uma grande oportunidade de aprimorar a proposta para atender a realidade de quem sofre com o problema. "Esperamos que a sociedade comece a olhar o problema com a seriedade que merece. O projeto poderá abrir discussões para desmistificar o problema e combater o preconceito que existe em torno da gagueira", ressalta.

Patologia

Apesar de a gagueira ser um distúrbio de fluência, as consequências da gagueira vão além da fala. A relação com os familiares, o convívio social, o desempenho escolar, o desempenho profissional e a saúde mocional podem ficar muito comprometidos devido à gagueira.

A interação gaguejada ao telefone demora muito mais que a fala normal. Os portadores desse distúrbio na fala têm dificuldades para se expressarem, o que faz com que suas contas telefônicas, principalmente as do celular, sejam mais elevadas do que as contas de uma pessoa com a fala normal. Muitas das pessoas que gaguejam têm problemas freqüentes para usar o telefone, o que pode causar uma grande dose de angústia e stress. Há casos em que a comunicação não flui e essas pessoas não conseguem passar sua informação
adiante.

Não falar sobre a gagueira, fingindo que ela não existe, contribui para aumentar o tabu em torno do ssunto. A Fonoaudiologia e algumas especialidades médicas dispõem de técnicas e procedimentos específicos para
tratar a gagueira.

II ENCONTRO
As inscrições para o II Encontro Brasileiro de Pessoas que Gaguejam já estão abertas e podem ser feitas de forma gratuita pelo site http://www.abragagueira.org.br - www.abragagueira.org.br. O evento será aberto a familiares, profissionais e estudantes da área. O objetivo é criar um espaço para discussão sobre alguns aspectos relacionados à gagueira a partir da experiência pessoal de pessoas que convivem com o problema.

O encontro terá ainda a presença de palestrantes internacionais, como o renomado psiquiatra americano, Dr. Gerald Maguire, que pesquisa o medicamento Pagoclone, primeiro remédio voltado para o tratamento da
gagueira, e do presidente da International Stuttering Association (ISA), Benny Ravid, de Israel.

Na mesma semana, entre os dias 5 e 8 de agosto, acontece o 6º Congresso Mundial de Fluência, promovido pela International Fluency Association. O evento também será realizado na Universidade Veiga de Almeida (UVA) e contará com a participação dos maiores pesquisadores do mundo em gagueira.
É considerado um dos congressos mais importantes sobre o assunto no mundo.

O II Encontro será realizado pela ABRA GAGUEIRA em parceria com a UVA, sede do encontro, e o Comitê de Fluência da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia e conta com o patrocínio da Microsom.

Texto: Talitha Moya

Fonoaudiologia na Rede Cultura

A entrevista concedida pelo Presidente do 8º Colegiado 2007/2009 Paulo Melo a TV Cultura referente a Fonoaudiologia vai ao ar no dia 04/07/09 (sábado) às 10:00h, com reprise no dia 10/07/09 (sexta-feira) às 7:30h.

O Programa "Educação e Trabalho" vai ao ar na TV Cultura todos os sábados, o qual é uma parceria entre o CIEE (Centro de Integração Empresa Escola) e a TV Cultura.

Fala sobre estágios, profissões, oportunidades, etc.

No quadro "Profissões" entrevistam alguns profissionais, Presidentes de Conselhos, Coordenadores de Cursos ou Professores, que falam sobre a profissão em si, novas áreas de atuação e como deve ser o profissional.

A entrevista abordará os seguintes temas:
- Quais as especialidades da Fonoaudiologia;
- Quais as áreas de atuação do profissional;
- Como deve ser o profissional;
- Como está o mercado de trabalho;
- Faltam profissionais em alguma área específica;
- Aumento na procura pela profissão;
- Como funciona a carga horária de estágio supervisionado.


XXVIII Papo Inclusivo

O CEMUPI - Centro de Estudos Multidisciplinares Pró Inclusão convida para o XXVIII Papo Inclusivo discutindo autonomia e vida independente de pessoa com deficiência.

Os papos inclusivos de 2009 terão como tema geral "Ser...humano com deficiência". A cada encontro vamos conversar com uma pessoa com deficiência falando sobre suas atividades e experiências.

Ser terapeuta com deficiência
Naira Rodrigues é fonoaudióloga, especialista em atendimento familiar, além de professora universitária e pesquisadora . É membro da equipe técnica da 3 In.
Data: 4 de julho de 2009 - Sábado - 10h
Local: Faculdade de Belas Artes - R. Dr. Álvaro Alvim, 90 - Vila Mariana - São Paulo (em frente à ESPM)

Inscrições gratuitas : Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Serão emitidos certificados de participação.
Vagas Limitadas

Realização:
CEMUPI - Centro de Estudos Multidisciplinar Pró-Inclusão

Próximos encontros

1 de Agosto

12 de setembro

3 de outubro

7 de novembro

"Papo Inclusivo" é um encontro de pessoas com deficiência, pais, parentes, educadores, médicos e terapeutas ligados à questão da deficiência e à Inclusão, sobre temas como Saúde, Educação, Comportamento, Trabalho e Legislação. A cada mês um convidado fala sobre um tema específico e debate
esse assunto com os presentes. Essa apresentação/debate dura cerca de 1h30, um sábado por mês, à tarde e tem um caráter bastante informal.

CEMUPI Centro de Estudos Multidisciplinar Pró-Inclusão
Inclusão : ampla, geral e irrestrita

O CEMUPI surge da necessidade de se congregar esforços e competências de pessoas de diferentes áreas do conhecimento, para planejar e executar projetos que visam à transformação das escolas, para que se tornem espaços abertos às diferenças.

A intenção deste grupo é de pesquisar as formas de eliminação das barreiras educacionais que excluem crianças e jovens das nossas escolas, interrompendo suas trajetórias escolares por motivos os mais diferentes, relacionados aos processos de ensino e de aprendizagem.

A cultura da diversidade vai nos permitir construir uma escola de qualidade, uma didática de qualidade e profissionais de qualidade. Todos teremos de aprender a “ensinar a aprender”. A cultura da diversidade é um processo de aprendizagem permanente, onde TODOS devemos aprender a compartilhar novos
significados e novos comportamentos de relações entre as pessoas. A cultura da diversidade é uma nova maneira de educar que parte do respeito à diversidade como valor.

ÁREA TEMÁTICA E PESQUISAS

O CEMUPI pertence à Faculdade de Educação do Centro Universitário Belas Artes e passa a ter a co-gestão do Grupo de Estudos Projeto Roma Brasil e dos Papos Inclusivos do Grupo Síndrome de Down.

O Centro tem como objetivo desenvolver um modelo teórico/prático de inclusão que possa ser usado pelas escolas, que não pretende ser um livro de receitas , mas sim um plano de vôo que ajude a viabilizar efetivamente as práticas educativas inclusivas.

O grupo é multidisciplinar formado por pessoas, nem todas vinculadas profissionalmente à Educação, mas preocupadas com o tema.

As pesquisas desenvolvidas pelo grupo referem-se a :

Þ Educação para todos
Þ Formação de Professores para a educação inclusiva
Þ Transversalidade e educação

ATIVIDADES
• desenvolvimento de projetos de pesquisa que possam ser aplicados em escolas, instituições e organizações que adotam princípios inclusivos em suas áreas de atuação educacional e/ou terapêutica;
• estudo sistemático e atualizado da literatura sobre ensino e diferenças na educação;
• intercâmbios com centros nacionais e internacionais ligados à área temática do CEMUPI;
• integração de conhecimentos sobre temas da área por meio convênios de cooperação técnico-científica com instituições de pesquisa e de ensino nacionais e internacionais;
• organização de encontros, seminários, congressos científicos;
• constituição de um acervo de trabalhos internos e externos ao CEMUPI e publicação de produções do CEMUPI em mídias especializadas.

CEREST - Centro de Referência em Saúde do Trabalhador

AMBULATÓRIO DE VOZ PROFISSIONAL E LABORATÓRIO DE PAIR NO CEREST DE PINDAMONHANGABA

O CEREST - Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, Regional de Pindamonhangaba, do Sistema Único de Saúde -

SUS, atualmente sob a coordenação da Assistente Social Enilda Costa, foi habilitado pela Portaria SAS No. 653 de 19

de setembro de 2006, possuindo 10 municípios em sua área de abrangência: São Luiz do Paraitinga, Lagoinha, Santo

Antonio do Pinhal, São Bento do Sapucaí, Taubaté, Tremembé, Campos do Jordão, Redenção da Serra, Natividade da

Serra e Pindamonhangaba.

Desde abril de 2008 o CEREST conta com o serviço de fonoaudiologia, coordenado pela fonoaudióloga Aretusa Monteiro,

seguindo os eixos e as diretrizes do Plano de Ação Estadual - RENAST - Rede Nacional de Saúde do Trabalhador.

São realizadas capacitações da rede de serviços fonoaudiológicos em saúde do trabalhador, desenvolvem-se ações de

promoção à saúde do trabalhador através de palestas e orientações, além de possuir um Ambulatório de Voz

Profissional e um Laboratório de PAIR.

No Ambulatório de Voz Profissional são realizados o acolhimento do trabalhador referenciado pelo SUS ou pelo

sistema privado e a assistência fonoterápica. Paralelamente, são realizadas palestras de orientações sobre saúde

vocal a profissionais da voz.

O Laboratório de PAIR recebe trabalhadores para realização de exames audiométricos e imitanciométricos e objetiva a

detecção deste tipo de perda auditiva para nortear as ações de prevenção juntamente à Vigilância Sanitária e

Epidemiológica do município. São realizadas também capacitações de fonoaudiólogos e médicos da região de

abrangência para a visão ocupacional da perda auditiva. Funciona, ainda, no Laboratório um Programa de Pesquisa e

Educação Continuada em PAIR que visa coletar dados e desenvolver estratégias de prevenção e controle da doença nos

municípios da região.

Contato

  • (11) 3873-3788
  • info@fonosp.org.br

Localização

  • Rua Dr. Samuel Porto, 351 – 10º andar, cj. 101
  • Saúde, São Paulo - SP
  • CEP: 04054-010

Redes sociais