Crefono 2 manifesta-se contrário à Nota Técnica da Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica sobre Freio Lingual/Frenotomia Lingual

O fonoaudiólogo é um dos profissionais responsáveis em acompanhar longitudinalmente o bebê/criança

O Conselho Regional de Fonoaudiologia 2ª Região/SP, autarquia federal criada pela Lei nº 6.965/81, órgão fiscalizador da profissão de fonoaudiólogo no Estado de São Paulo, teve ciência da Nota Técnica supramencionada, datada de 12/05/2022, a respeito do “teste da linguinha” e do enorme aumento do diagnóstico e intervenções cirúrgicas terapêuticas para o tratamento da anquiloglossia no Brasil.

A referida nota afirma que “a avaliação de problemas clínicos envolvendo o freio lingual sempre foi rotineira para os pediatras...” e que “recentemente as indicações de intervenção sobre o freio lingual têm sido direcionadas por toda uma gama de profissionais, muitas vezes a partir de problemas de adaptação à amamentação. Muitas vezes outras causas de desadaptação, que são mais comuns, não são consideradas. É bastante comum na experiência do dia a dia dos pediatras e cirurgiões pediátricos que o simples aconselhamento, controle de ansiedade dos pais e consulta com enfermeiros especializados em amamentação resolva questões ligadas à amamentação de forma simples e não invasiva. Outras vezes as famílias são frustradas ao perceber que os problemas persistem mesmo após a cirurgia da criança”. (grifo nosso)

Diante disso, esclarecemos que, conforme Parecer CFFa nº 37/2015, publicado pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, que dispõe sobre a realização da avaliação do frênulo da língua, “O fonoaudiólogo é o profissional que atua em pesquisa, prevenção, avaliação e terapia fonoaudiológica na área da comunicação oral e escrita, voz e audição, bem como em aperfeiçoamento dos padrões da fala e da voz. Por isso, durante sua formação na graduação, em cursos devidamente reconhecidos, o fonoaudiólogo adquire conhecimento teórico-prático suficiente para realização de intervenções pertinentes ao campo fonoaudiológico em toda extensão e complexidade. Este campo inclui a motricidade orofacial, que se atém aos aspectos estruturais e funcionais das regiões orofacial e cervical.  Desta forma, o fonoaudiólogo é competente para realizar  avaliação do frênulo da língua, podendo atualizar-se científica e tecnicamente atendendo aos preceitos éticos da Fonoaudiologia”.

Em complemento, tem-se ainda a Resolução CFFa nº 661/2022, publicada pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, que dispõe sobre a atuação do fonoaudiólogo no aleitamento materno, e determina dentre as atribuições e responsabilidades do profissional, a de avaliar as condições clínicas e/ou patológicas que possam interferir na amamentação.

Diante de tais normativas, dos motivos expostos e do fato do fonoaudiólogo ser um dos profissionais responsáveis em acompanhar longitudinalmente o bebê/criança, o que lhe permite avaliar os impactos do freio lingual no desenvolvimento das funções estomatognáticas e da fala, este Conselho Regional manifesta-se contrário à nota técnica em referência.

São Paulo, 23 de maio de 2022.

silvia.png

Silvia Tavares de Oliveira
Presidente

gisele.png 

Gisele Chagas de Medeiros
Presidente da Comissão de Saúde

             

 

Contato

Fale com a Presidente

  • presidente.crfa@fonosp.org.br

Localização

  • R. Dr. Samuel Porto, 351 – 10º andar, cj. 101
  • Saúde, São Paulo - SP
  • CEP: 04054-010