Entrevista: Efeitos da Pandemia na audição

O Crefono 2 conversou com cinco conselheiras sobre os impactos da Pandemia no que diz respeito especificamente à Fonoaudiologia. Nessa página, você confere a entrevista com a fonoaudióloga Patrícia Rodrigues (CRFa 2-6993) sobre os efeitos no campo da audiologia.

Confira a entrevista com Patrícia Rodrigues (CRFa 2-6993), fonoaudióloga clínica e professora da Universidade de Sorocaba sobre os efeitos da Covid19 na audição.

É importante ressaltar que muitos estudos e pesquisas ainda estão sendo realizados, muitos ainda não são conclusivos ou não possuem acordos no campo científico. O objetivo das entrevistas realizadas é compartilhar o que os profissionais têm presenciado na clínica e acompanhado dos estudos já publicados.

Para conferir todas as entrevistas sobre os impactos da Pandemia nas áreas da Fonoaudiologia, acesse aqui.

Crefono 2 – O que dizem os estudos realizados até o momento sobre a relação do vírus com a audição?

Já existem evidências que relacionam a Covid19 com problemas na audição. Um estudo publicado no American Journal of Otolaryngology analisou 20 pacientes com a doença, que não apresentavam qualquer sinal de perda auditiva antes do contato com o vírus. Quando submetidos ao exame de audiometria, o resultado do grupo foi pior do que aqueles que não tiveram a doença. 

Segundo um relatório do Manchester Biomedical Research Centre (BRC), após a análise de 24 estudos que apresentavam relação entre a Covid19 e problemas de audição, os pesquisadores concluíram que, no geral, 7,6% dos pacientes pesquisados relataram terem sofrido de perda de audição após contraírem o coronavírus, 14,8% tiveram zumbido e 7,2% sintomas relacionados à vertigem.

Crefono 2 – Quais as principais queixas relacionadas à audição de pacientes que tiveram Covid19?

Em primeiro lugar é importante registrar que, apesar dos avanços, ainda há muita pesquisa a ser feita sobre os efeitos colaterais da Covid19 relacionadas à audição. Sobre as queixas, o que temos mais visto são pacientes que relatam vertigens, zumbido no ouvido, perda auditiva e otalgia (dor de ouvido).  Esses sinais de alterações auditivas podem surgir até 12 semanas após a melhora do paciente. 

Crefono 2 – Qual a realização do aumento de pessoas com queixa de zumbido durante a Pandemia?

Tem sido observado na prática clínica um maior número de pacientes com queixa de zumbido durante a pandemia. Tanto para piora do zumbido já existente, como início do sintoma. Alguns destes pacientes foram contaminados pelo coronavírus, outros apresentam PCR negativo no momento da avaliação.  Alguns sintomas surgem na fase aguda da doença e podem sumir espontaneamente. Em alguns casos, essas alterações só são percebidas após algumas semanas da contaminação.

As causas do zumbido podem ser diversas. Desde uma alteração metabólica, causada pela nova rotina de trabalho em home office, passando por uma má qualidade do sono e tensão, o que pode provocar dores da ATM. A infecção pelo coronavírus ou ainda a medicação utilizada no tratamento da doença são fatores que podem piorar ou desencadear o quadro. O uso da hidróxicloroquina sozinha ou combinado com o metronidazol, duassubstância apontadas como ototóxicas (afetam os ouvidos) em diversos estudos, pode causar alterações audiovestibulares, como perda auditiva, síndrome vestibular periférica e zumbido.

Crefono 2 - E a relação com a Perda Auditiva?

Há casos de pacientes que relatam perda súbita da audição. Ainda não se sabe muito bem o que pode provocar essas alterações, mas o tratamento tem tido bons resultados nesses casos.

Um estudo, publicado em junho de 2021, aponta que o vírus pode causar perda de diferentes graus e tipos, podendo acometer um ou os dois ouvidos. Além disso, o coronavírus pode afetar o sistema auditivo nervoso central, o que impactará diretamente na qualidade de compreensão de fala.

O importante é saber que esta perda pode surgir de forma súbita, acompanhada de baixa audição, sensação de ouvido tampado ou zumbido repentino e que o quanto antes procurar um médico otorrinolaringologista e fizer uma avaliação audiológica completa, melhor o prognóstico do tratamento.

 

Crefono 2 – Por fim, Já existe alguma conclusão sobre a relação entre vertigem e a doença causada pelo novo coronavírus?

Os relatos de tontura e vertigem em pacientes contaminados pela Covid19 ainda são poucos e os estudos são inconclusivos. É cedo para afirmar que existe uma relação.

Ainda assim, é importante lembrar que tonturas, desequilíbrio e vertigens são sintomas que precisam ser tratados.  É fundamental consultar um médico para a realização de exames que podem identificar a causa do problema.

REFERÊNCIAS INDICADAS PELA ENTREVISTADA:

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0196070920301654?via%3Dihub
https://www.manchesterbrc.nihr.ac.uk/news-and-events/evidence-supports-covid-19-hearing-loss-link-say-manchester-brc-researchers/https://journalmhr.com/index.php/jmhr/article/view/30

Contato

  • (11) 3873-3788
  • info@fonosp.org.br

Localização

  • Rua Dr. Samuel Porto, 351 – 10º andar, cj. 101
  • Saúde, São Paulo - SP
  • CEP: 04054-010


Redes sociais

  whatsapp 280621