TDAH - Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas

MINISTÉRIO DA SAÚDE APROVA PROTOCOLO PARA TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE

Documento traz orientações e diretrizes para a condição

O Ministério da Saúde aprovou, na última semana, o protocolo clínico e diretrizes terapêuticas do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). O documento traz critérios de diagnóstico, critérios de inclusão e de exclusão, tratamento e mecanismos de regulação, controle e avaliação. O protocolo tem caráter nacional. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União.

De acordo com a publicação, o TDAH é considerado uma condição do neurodesenvolvimento, caracterizada por uma tríade de sintomas envolvendo desatenção, hiperatividade e impulsividade em um nível exacerbado e disfuncional para a idade. Os sintomas começam na infância, podendo persistir ao longo de toda a vida.

As dificuldades, muitas vezes, só se tornam evidentes a partir do momento em que as responsabilidades e a independência se tornam maiores, como quando a criança começa a ser avaliada no contexto escolar ou quando precisa se organizar para alguma atividade ou tarefa sem a supervisão dos pais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o transtorno acomete pelo menos 3% da população mundial. No Brasil, a prevalência de TDAH é estimada em 7,6% em crianças e adolescentes com idade entre seis e 17 anos, 5,2% nos indivíduos entre 18 e 44 anos e 6,1% em pessoas com mais de 44 anos apresentando sintomas.

Clique aqui e veja o  Protocolo: https://drive.google.com/file/d/1ckzjO2I-MdX5WmViCOSPzZWiclxAW0rm/view

CATECE em São Paulo - Solicite seu Tìtulo de Especialista

São Paulo é o próximo destino da Catece Itinerante

Profissionais fonoaudiólogos de São Paulo e região vão poder aproveitar a presença da Catece Itinerante, entre os dias 19 e 20 de agosto, na sede do Crefono 2. O projeto da Comissão de Análise de Título de Especialista e Cursos de Especialização do Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa) tem o objetivo de facilitar ainda mais a emissão e renovação de títulos de especialista.

Em quais áreas posso me tornar especialista?

Atualmente o CFFa reconhece 14 áreas de especialidades

Audiologia

Disfagia

Fonoaudiologia Educacional

Fonoaudiologia Hospitalar

Fonoaudiologia Neurofuncional

Fonoaudiologia do Trabalho

Fluência

Gerontologia

Linguagem

Motricidade Orofacial

Neuropsicologia

Perícia Fonoaudiológica

Saúde Coletiva

Voz

 Quais são os documentos necessários?

Documentos de Identificação:

Diploma de Graduação em Fonoaudiologia;

Carteira de Identidade e do CPF;

Comprovante de endereço;

Declaração de regularidade do seu Conselho Regional de Fonoaudiologia;

Carteira profissional do Fonoaudiólogo;

Documento de identidade profissional.

*Originais e cópias autenticadas

Documentos para Comprovação de Atuação e Experiência

  • Requerimento devidamente preenchido, sem rasuras, datado e assinado;
  • Ficha de pontuação para obtenção do título de especialista devidamente preenchida;
  • Cópias autenticadas ou acompanhada de declaração de veracidade dos documentos comprobatórios para pontuação.

 Acesse aqui a ficha de Pontuação Download. 

 Acesse aqui o Requerimento Download. 

CICLO DE PALESTRAS - TEMÁTICA SEMESTRAL: Empreendedorismo e Gestão na Fonoaudiologia. 1ª Palestra - Modelagem de Negócios.

Que tal tirar do papel aquela ideia de empreendimento ainda em 2022 ou então aprimorar a gestão do seu negócio? Esse papo é para você!

A modelagem de negócio é uma ferramenta super utilizada pelo mercado para entender os fluxos de trabalho de uma empresa. Nós do Crefono 2 preparamos um encontro especial para te ajudar a colocar esse plano em prática.

A palestra será com o consultor de negócios e gestão, Adriano Bardella. O especialista é expert nos assuntos de marketing, planejamento e pessoas e tem na bagagem mais de 25 anos de experiência no mercado de inovação e startups.

Vamos prestigiar? A capacitação acontece no dia 23 de julho, de 8h às 12h, na Subsede Ribeirão Preto. Inscreva-se gratuitamente pelo Formulário:

Disponibilizaremos certificado aos participantes.

Quando: 23/07
Horário: 8h às 12h
Local: Edifício José Fortes Guimarães - Rua Bernardino de Campos, 1001, Centro, Ribeirão Preto, SP

Inscrições:
https://forms.gle/mgHZztSAoaDJTgki8

ANS amplia regras de cobertura para tratamento de transtornos globais do desenvolvimento

Crefono 2 posiciona-se contrário à hegemonia médica

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovou uma normativa que amplia as regras de cobertura assistencial para usuários de planos de saúde com transtornos globais do desenvolvimento, entre os quais está incluído o Transtorno do Espectro Autista.

Dessa forma, a partir de julho de 2022, passa a ser obrigatória a cobertura para qualquer método ou técnica indicado pelo médico assistente para o tratamento do paciente que tenha um dos transtornos enquadrados na CID F84, conforme a Classificação Internacional de Doenças.

Em Nota de Esclarecimento, assinada pelo Conselho Federal Fonoaudiologia (CFFa)  e Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa) acerca dos protocolos clínicos e diretrizes no tratamento de indivíduos com transtorno do espectro autista, se reconhece a variabilidade de abordagens e inexistência de evidências científicas que comprovem a superioridade de um método sobre o outro, assim como a existência de ganhos em todas as abordagens.

O CREFONO 2 posiciona-se contrário à hegemonia médica, valoriza a atuação interprofissional e sempre atuará para garantia dos direitos do fonoaudiólogo estabelecidos no Código de Ética da Fonoaudiologia, dentre eles o de exercer a atividade profissional com autonomia e convicção motivada.

A normativa também ajustou o anexo II do Rol para que as sessões ilimitadas com fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas englobem todos os transtornos globais de desenvolvimentos (CID F84).

Transtornos Globais do Desenvolvimento

O transtorno global do desenvolvimento é caracterizado por um conjunto de condições que geram dificuldades de comunicação e de comportamento, prejudicando a interação dos pacientes com outras pessoas e o enfrentamento de situações cotidianas.

De acordo com a Classificação Internacional de Doenças (CID-10) são considerados transtornos globais do desenvolvimento:

  • Autismo infantil (CID 10 – F84.0)
  • Autismo atípico (CID 10 – F84.1)
  • Síndrome de Rett (CID 10 – F84.2)
  • Outro transtorno desintegrativo da infância (CID 10 – F84.3)
  • Transtorno com hipercinesia associada a retardo mental e a movimentos estereotipados (CID 10 – F84.4)
  • Síndrome de Asperger (CID 10 – F84.5)
  • Outros transtornos globais do desenvolvimento (CID 10 – F84.8)
  • Transtornos globais não especificados do desenvolvimento (CID 10 – F84.9)

Existem várias formas de abordagem dos transtornos globais do desenvolvimento, desde as individuais realizadas por profissionais treinados em uma área específica, até as compostas por atendimentos multidisciplinares. Entre elas, estão: o Modelo Applied Behavior Analysis (ABA), o Modelo Denver de Intervenção Precoce (DENVER ou ESDM), a Integração Sensorial, a Comunicação Alternativa e Suplementar ou Picture Exchange Communication System (PECS), dentre outros. A escolha do método mais adequado deve ser feita pela equipe de profissionais de saúde assistente com a família do paciente.

*Com informações do Ministério da Saúde

Acesse aqui o Edital. 

 

 

 

Contato

Fale com a Presidente

  • presidente.crfa@fonosp.org.br

Localização

  • R. Dr. Samuel Porto, 351 – 10º andar, cj. 101
  • Saúde, São Paulo - SP
  • CEP: 04054-010