- Consulta CRFa. 2ª Região/SP n° 04/2008 - Assunto: O fonoaudiólogo pode prestar assistência ao paciente internado, a pedido da família, mesmo que não faça parte da equipe de profissionais do hospital?

Assunto: O fonoaudiólogo pode prestar assistência ao paciente internado, a pedido da família, mesmo que não faça parte da equipe de profissionais do hospital?

O paciente e/ou familiares tem o direito de escolher o profissional por quem deseja ser atendido, logo, por este princípio, o fonoaudiólogo poderá prestar assistência ao paciente internado, mesmo que não faça parte da equipe de profissionais do hospital.

 

Ao prestar este tipo de assistência, é dever do fonoaudiólogo respeitar os preceitos do Código de Ética da Fonoaudiologia, além de:

 

1) contatar a diretoria-clínica do hospital e verificar quais são os procedimentos a serem adotados para o cadastrar-se como fonoaudiólogo indicado pela família;

 

2) registrar no prontuário do paciente todos os procedimentos fonoaudiológicos realizados, com devida identificação (carimbo com nome completo e número de inscrição junto ao CRFa/SP) e assinatura;

 

3) contatar o médico responsável pelo caso, a fim de identificar o momento clínico adequado para a avaliação fonoaudiológica;

 

4) contatar o fonoaudiólogo membro da equipe do hospital, para acordarem o procedimento. O fonoaudiólogo do hospital deve registrar no prontuário do paciente que o atendimento será realizado por fonoaudiólogo indicado pela família;

 

5) dar devolutiva à equipe do hospital (médico, enfermeira, nutricionista e fisioterapeuta) quanto aos procedimentos fonoaudiológicos realizados.

 

Este é o nosso entendimento, salvo melhor juízo.

 

 

 

 

 

Cláudia S. P. Cassavia

 

Presidente da Comissão de Saúde do CRFa. 2ª Região/SP

Contato

  • (11) 3873-3788
  • info@fonosp.org.br

Localização

  • Rua Dr. Samuel Porto, 351 – 10º andar, cj. 101
  • Saúde, São Paulo - SP
  • CEP: 04054-010

Redes sociais